top of page
Abstract City Lights
Baixe o seu ebook

COMO ORGANIZAR E ESCOLHER FOTOS para montar um lindo FOTOLIVRO DE VIAGEM

EBOOK ORGANIZAR FOTOS DIGITAIS.png

Comprando as passagens #2 - Como planejar uma LONGA viagem gastando menos


Comprando as passagens #2 - Como planejar uma LONGA viagem gastando menos

Depois de escolher alguns lugares para visitar a primeira coisa a se fazer é comprar as passagens. Porém, você vai perceber que para ter um pouco de liberdade é preciso se adaptar e fazer essa compra no momento certo. Da série de postagens sobre “Como planejar uma LONGA viagem gastando menos”, dividindo e detalhando, contando como encarei cada passo e fase. Eu aconselho você seguir esses passos:

#1 Escolhendo o destino #2 Comprando as passagens #3 Preparando o roteiro #4 Como escolher as hospedagens #5 Como levar dinheiro #6 Documentos e vistos #7 Arrumando as malas

Se programar com antecedência é uma boa prática para conseguir bons preços. Iniciar seus planos com uns 6 meses, pesquisar com carinho onde ir, entender o clima da região de acordo com suas intenções de passeios, e comprar as passagens aéreas nacionais (Brasil) com 30 a 60 dias de antecedência, e internacionais com 60 a 90 dias de antecedência.

O deslocamento é basicamente a parte mais cara da viagem. Então eu precisei estudar com mais profundidade como pagar mais barato. São muitas informações e “bisus” vou compartilhar alguns aqui.

Ao voar, o seu coleguinha de poltrona pode ter pago menos da metade que você e ainda assim ter os mesmos benefícios!

A grosso modo, o valor das passagens varia bastante ao longo do período que antecede o voo. Basicamente com a oferta e a procura. Com uns 6 ou mais meses de antecedência a agenda de voos é feita e um valor médio é colocado para venda dos bilhetes de viagem. Algumas empresas negociam a aquisição de parte dos bilhetes conseguindo um bom preço por eles, inclusive eventualmente, é posto à venda em promoções com valor até menor que a própria empresa aérea. E ao mesmo tempo a companhia aérea precisa garantir um mínimo de venda de assentos por questões financeiras e empresariais então faz um certo marketing diminuindo o preço de alguns bilhetes, colocando-os em promoção. Quanto mais se aproxima a data de embarque, a tal da oferta e da procura é calculada por algoritmos que determinam valores maiores para um mesmo bilhete ao longo do tempo. As vezes em questão de horas os preços podem mudar. E o mesmo trecho pode ter valores distintos dependendo do dia ou horário a ser selecionado. Reparei que nos dias da semana com menor procura, como terças, quartas e sábados, além dos horários comerciais de 10 as 16hs ou na madrugada, os valores são mais baratos.

Por isso, para conseguir um bom preço é preciso ter uma certa flexibilidade de dia e horário, comprar com uma certa antecedência e pesquisar onde adquirir o bilhete. Lembre-se: nem sempre o valor da passagem é mais barato na própria companhia aérea, ok?

QUAL A MELHOR FONTE DE PESQUISA PARA PASSAGENS AÉREAS?

janela anônima do seu navegador de internet

Vamos aos voos de longa distância. Sair do Brasil para outros continentes, por onde começar?

Com pesquisa, muita pesquisa na internet. Mas o primeiro ‘bisu’ aqui é: pesquise pela janela anônima do seu navegador de internet.

O que acontece é que ao pesquisar na internet, os sites têm uma ferramenta chamada ‘cookies’ que é instalado no seu computador ou celular a informação que você está buscando determinado voo e então no primeiro instante eles te dão a maior de todas as promoções, o melhor preço. Só que você não vai comprar de cara. Então ao retornar a pesquisa um tempo depois, os preços vão aumentando. Existem outras influências para esse aumento, mas basicamente o fato de estar chegando mais perto do período em que você vai viajar, os preços vão crescendo e os cookies dão a informação para as companhias aéreas de que você quer determinada viagem. Quando você faz essas buscas pela janela anônima, nada fica armazenada no sistema sobre essas buscas, e você terá uma possibilidade maior de encontrar preços mais atraentes para você ao fazer a compra da passagem. Encontre a janela anônima no canto superior direito, nos três pontinhos, clique ali e abra a nova janela anônima. Você também pode limpar os dados de navegação do seu navegador, se preferir.

Claro que, quanto mais longo o trajeto, provavelmente mais caro é o voo. Porém, existem muitas promoções onde os voos ficam com preços sensacionais. Aproveite isso. Descobri que num mesmo voo, numa mesma classe, o coleguinha ao lado do nosso assento pode ter pago 10 vezes mais, dependendo da data que ele comprou o voo. Eu me cadastrei em vários aplicativos para receber as informações direto no meu celular e email dessas promoções. Os apps que mais uso são: “Melhores destinos” e “Passagens imperdíveis” que me dão as informações atualizadas mais importantes de descontos sobre voos, pacotes, milhas, bonificações e muitas dicas. Mas eu sempre busco os valores dos voos no site da skyscanner.com.br , eles comparam quase todas as companhias aéreas facilmente para nós.

Depois de achar o voo que quero, vou no site da companhia aérea e comparo valores. Também procuro comparar o mesmo voo nos sites: viajanet.com.br, decolar.com, Kayak, Momondo e o Google flights.

Estes sites chamados agregadores reúnem informações de várias companhias aéreas e hotéis. E a busca pelo voo ideal pode ser feita de diversas formas. Basicamente inserindo as informações de local de partida, local de chegada, ida e volta, só ida, ou múltiplos destinos, dia exato, opção flexível ou busca por um mês inteiro, e a classe desejada. Podem até te dar informações de um melhor lugar para ir, com o melhor custo em uma determinada época do ano. O que quero dizer é que é preciso percorrer as possibilidades de ferramentas que cada um desses sites nos dá para cada tipo de pesquisa.

STOP OVER

Uma outra comodidade que influencia no valor final da sua passagem são as escalas que podem ocorrer. Um voo longo, se for direto, sem escalas costuma ser mais caro. Claro, pela procura ser maior. Quase todo mundo quer chegar mais rápido ao destino. O detalhe é que quase ninguém conhece a possibilidade de fazer o tal do Stop Over.

Resumidamente é assim: quando existe uma conexão no seu voo, com ou sem troca de aeronave, é possível que você faça uma parada nesta conexão por alguns dias e retome o voo em outra data. Stop over é uma parada feita entre um segmento e outro. Cada trecho de voo é um segmento. Para conseguir isso é preciso, no ato da compra da passagem fazer a opção desses voos e datas. Nos sites de busca, essa opção é chamada de múltiplos destinos, ou várias cidades, mas nem todos os buscadores tem essa opção. E, para que isso seja realmente conveniente, mais barato mesmo, você precisa saber qual o voo com escala está com um preço legal. Primeiro pesquise e anote os voos com escala que te interessam. As diversas companhias aéreas costumam ter conexão nos seus hubs, locais de reabastecimento, normalmente no país de origem da empresa. Portanto, se você procura um voo para Tóquio saindo do Rio de Janeiro, por exemplo, vai perceber que não existe voo direto e que diversas companhias fazem o trajeto até chegar lá, porém parando em destinos diferentes. Anote então as possibilidades, a Ibéria por exemplo para em Madri na Espanha, a Delta para em Atlanta e em Mineapolis nos Estados Unidos; A Turkish para em Istambul, na Turquia.

Veja que existem algumas opções para que você possa estender a sua viagem e conhecer um lugar diferente e a melhor notícia é que essa paradinha de alguns dias praticamente não te custará quase nada a mais. Verifique novos voos, só que com a opção várias cidades, insira as informações de data inicial igual a pesquisa inicial que você fez, e coloque os trechos e paradas com as datas que você deseja. Faça a busca e compare os valores. Nem sempre vale a pena, é preciso alguma pesquisa, mas você pode encontrar um stop over com o valor de uma pequena taxa.

Ah, não dá pra fazer isso já estando em viagem. Você não consegue sair por uns dias em alguma conexão se não se planejou e comprou a passagem certa pra isso, ok?!

Voo low cost pela Ásia

Voos LOW COST como funciona? Vale a pena?

Sem medo de ser feliz, eu quero é viajar mais!!! Para aqueles que querem economizar e não fazem questão dos diversos confortos que uma companhia aérea tradicional oferece como o básico das suas passagens aéreas existe a possibilidade de voar pelas companhias aéreas chamadas low cost, traduzindo de baixo custo. Simplesmente elas cortam algumas regalias como lanches no voo, despacho de bagagens, logística e infraestrutura comercial, possibilidade de cancelamento ou troca de data da passagem, entre outros itens que realmente não comprometem a segurança do voo. Digo, elas cortam custos, mas se mantem dentro das normas da aviação. Claro que você pode adquirir alguns destes itens ao comprar a passagem, ou lá no guichê de check in, mas pagará uma quantia considerável para isso. Vale muito a pena comprar uma passagem gastando muito pouco, e se você quiser qualquer serviço extra você pode pagar a parte.

Vantagens: Quase sempre pontuais; Baixo preço das passagens aéreas; Agilidade no embarque e desembarque; Excelente para quem viaja com pouca bagagem; Praticidade e pouca burocracia;

Desvantagens: Grande parte das companhias aéreas de baixo custo não permitem que você faça o check-in com antecedência e cobram multas pesadas caso você não consiga realizar a operação no momento determinado; Distância dos aeroportos operados pelas companhias aéreas (quase sempre fora dos principais aeroportos); Tudo que não seja a passagem é considerado extra e é cobrado desde a escolha do assento, check-in, despacho de bagagem e etc, digo, não existe qualquer serviço incluído (refeições e etc.); A maioria das companhias aéreas low cost oferecem produtos durante os voos e a viagem parece um trem do nosso subúrbio.

Quanto custa? Barato, muito barato! Cada trecho, nacional ou internacional costuma variar entre promoções fantásticas de 10 dólares a uns 200 dólares voos mais longos. Não pesquisei ou confirmei os valores máximos, mas sempre pesquiso nas várias companhias e encontro por esses preços.

No Brasil, estamos engatinhando com as companhias low cost. Poucas já estão fazendo trechos para fora do país, e outras estão negociando ainda. Porém, no resto do mundo existem várias opções. Essas são companhias são menores, com quadro de funcionários enxuto, algumas nem tem stands em aeroportos e muitas vezes operam em aeroportos menores.

Eu pretendo pegar vários voos pela Ásia em companhias low cost. Encontrei trechos internacionais por menos de 200,00 reais. Sabendo dos lugares que quero visitar, busquei algumas companhias que operam por ali, me cadastrei no site de algumas. Além de ter algum desconto ao comprar a passagem, fico por dentro das promoções.

Qual o problema então?

Ficar ligado nos detalhes da passagem que se está adquirindo. Ler atentamente as regras de cancelamento, reembolso e principalmente de bagagem. Como falei essas companhias oferecem preços muito interessantes, mas nem sempre está incluso na passagem o valor para despachar a sua bagagem. E muitas têm o peso permitido diferente umas das outras. Cuidado, porque eventualmente para pagar excesso de bagagem no check in você vai ter que desembolsar quase que o mesmo valor da passagem que pagou.

BAGAGEM

Para os que não querem despachar bagagem, economizando na passagem aérea as companhias low cost costumam cobrar pela passagem sem acrescentar nenhum serviço ou bagagem para despachar ou incluem a permissão de despachar bagagem com limite de até 20 kg (na sua grande maioria). Voos nacionais ou internacionais, nas diferentes companhias também tem regras diferentes para a quantidade e o peso da bagagem despachada.

Diário do meu período SABÁTICO

Para levar na mão (dentro do avião com você) normalmente o limite de peso, entre toda sua bagagem de mão, pode ser de até 7kg, entre mala de mão ou mochila e uma bolsa ou mochila para laptop. Verifique também as medidas permitidas.

Diário do meu período SABÁTICO

Setembro de 2018

Gastos iniciais

PASSAGENS AÉREAS + milhas + VISTOS

Ando aprendendo bastante sobre ser uma viajante profissional ;0

O fato é que, eu precisava usar os pontos acumulados do meu cartão de crédito para pagar por esses voos mais longos, então parti para entender sobre os programas de fidelidade.

Basicamente existem 5 grandes possibilidades no Brasil com as respectivas alianças aéreas: (1) o programa Amigo da Avianca Brasil e Star Alliance;

(2) Smiles com a Skyteam e a Gol;

(3) Multiplus com a Latam e os parceiros da One World;

(4) Tudo Azul e alguns parceiros; e a

(5) Livelo que é um programa de recompensas criado pelo Banco do Brasil e Bradesco para resgate de pontos.

Programa de fidelidade: Um programa de milhagem, programa de milhas ou programa de passageiro frequente é um serviço muito oferecido por companhias aéreas para recompensar seus clientes por sua fidelidade.

Eu já era cadastrada na Smiles, só que agora fiz um plano pago, e me cadastrei na Livelo, porque dali eu poderia resgatar pontos de qualquer outro programa, mas ainda não usei.

O grande “bisu” aqui é o seguinte: espere pelas bonificações!

De tempos em tempos, quase todo mês, esses programas geram promoções onde os pontos transferidos para eles têm uma bonificação de 40 a 100% ou outros benefícios. Isso quer dizer que, na teoria, se você tem 50.000 pontos no cartão de crédito por exemplo, e você se cadastra numa bonificação de 100% do programa de fidelidade é creditado na sua conta do programa, na transferência desses pontos, 100.000 milhas. É preciso ler os detalhes de cada promoção, ok!? (pra isso fique ligado nas dicas do app “melhores destinos” a duração de cada promoção é quase sempre bem curta).

O fato é que eu consegui, fazer dos 65.000 pontos do cartão que tinha virassem 135.000 no clube Smiles com uma das promoções que aproveitei. Então busquei as passagens aéreas que precisariam de um maior investimento e usei o Smiles, até porque esses clubes de pontos não têm parcerias com as companhias aéreas low cost. Um outro detalhe sobre os voos é que os valores de um mesmo trecho podem variar MUITO de um dia para outro então, manter as datas flexíveis é fundamental para escolher um voo mais barato. Também descobri que os voos no sábado, e no meio da semana quase sempre são mais baratos. Tente buscar pelo mês inteiro na hora de definir a data do voo.

Os valores calculados em agosto de 2018 (quando comprei a passagem pelo Smiles), para embarcar em novembro de 2018 Rio – Nova Deli com conexão em Roma, encontrei por 65.000 milhas + R$240,00 de taxas e já comprei a passagem só de ida. Entre a Índia e os outros países da Ásia vou usar as companhias aéreas Low Cost, com valores entre R$ 100 a R$700 cada trecho, bem barato mesmo ou vou usar trem ou ônibus, ainda não decidi. Essa semana comprei a passagem aérea de Nova Delhi para Kathmandu pela Jet Airways e paguei apenas INR 4,922 (R$ 283, com direito a despachar uma bagagem de até 20Kg). Então, depois de visitar alguns países do Sudeste asiático pretendo voltar da Ásia passando por Shangai e por Moscou com voo pago com milhas para retornar ao Rio de Janeiro. Eu queria muito passar um tempinho lá na Itália, ir a Cinque Terre e o Lake Como, mas mais uma vez para baratear minha viagem, percebi que para parar nos países Europeus com o Tratado de Shengen os valores do seguro viagem eram quase que 4 vezes o que poderia conseguir se ficar apenas pela Ásia. Fiquei decepcionada, mas essa paradinha vai ficar pra próxima viagem. Além do que, comprar passagens com qualquer clube de pontos, você perde a possibilidade de fazer o tal do Stop Over. Eu poderia pegar um voo da Ásia e passar pela Itália pela companhia Alitália fazendo uma paradinha de uns dias antes de voltar ao Rio, mas pelo Smiles não é possível mudar a data ou horário das conexões.

VISTOS

De fato, foquei nos países com um custo de vida mais barato, e isso quer dizer que vou ficar períodos mais longos em poucos países do Sudeste Asiático, e basicamente vou explorar o que os vistos de turista básicos me permitem ficar em cada lugar. Não ficarei o período máximo permitido mas olha só o que contempla cada visto: para Índia (até 60 dias – visto pago U$82), Nepal (até 15 dias – visto pago U$25), Tailândia (até 90 dias dispensa de visto), Filipinas (até 59 dias dispensa de visto), Malásia (até 90 dias dispensa de visto), Singapura (até 30 dias dispensa de visto), indonésia (Dispensa de visto, por até 30 dias prorrogável por mais 30 dias – visto pago U$35 + U$35) e para voltar quero parar em Shangai (até 72 horas com visto de trânsito - stop over - gratuito) e em Moscou (até 90 dias dispensa de visto).

No post sobre “#6 Documentos e Vistos” explicarei melhor cada destino e seu respectivo visto necessário.

Já paguei o seguro viagem, ufa!

Então mudei de planos e vou ficar apenas pela Ásia. Busquei outro seguro pela WorldNomads e paguei pelo seguro explorer apenas R$1055,00 para 180 dias, após esse período eu contratarei novamente pelo período restante estando em viagem. (valor de agosto de 2018).

Um alívio, porque os outros seguros mais descritos e indicados pelos blogueiros de viagem estavam por mais de R$3.000. Economizei mais um pouco.... e assim vai, aos poucos, pesquisando e planejando a minha viagem de período sabático pela Ásia por uns 7 meses...

Eu já prometi aqui contar tudinho durante a viagem, me acompanhem no insta e no face com a #40tonapelomundo

MAS E VOCÊ conhece e já viajou em companhias low cost? Teve algum perrengue ou surpresa? Conta pra gente!

Beijinhos e até o próximo post dessa série de postagens sobre Como planejar uma LONGA viagem gastando menos.

bottom of page